Verdades e Mentiras

Em breves o IBAMA decidirá sobre os destinos do Litoral Norte de São Paulo. :
1. Concede a Licença Prévia para a Petrobrás prosseguir com o projeto da UTG (Unidade de Tratamento de Gas ) em Caraguatatuba, ou
2. Nega a Licença Prévia e a Petrobrás vai procurar outro local, por exemplo, Cubatão.
A opção ecologicamente correta é a segunda, por muitos motivos sóciais,-ambientais, técnicos e econõmicos
O Estudo de Impacto Ambiental (EIA RIMA)
apresentado pela primeira vez em 1 de Novembro de 2006 e complementado em Fevereiro de 2007, não tem avaliações confiáveis dos impactos reais e potenciais no Litoral Norte de São Paulo, como se pode perceber, a partir de sua leitura, acessível por:
www.boicucanga.com.br/welcometobrazil/impactos.html
A pretendida UTG em Caraguatatuba (duas daquela que opera em Cubatão), geraria emissões de gases de efeito estufa (ver dados abaixo)  causado diversas doenças respiratórias e varios impactos negativos na qualidade de vida, economia e meio ambiente de todo o Litoral Norte.
A região da Serra do Mar escolhida em Caraguatatuba, é a mesma que sofreu a maior catástrofe, há 40 anos, com dezenas de deslizamentos e mas de 500 mortes. A construção de um túnel, de 5 km, aumentaria os riscos de outros escorregamentos de encostas de mata atlântica e afetaria a drenagem dos mananciais.Todos os impactos nas Unidades de Conservação seriam mínimos em Cubatão, onde a Petrobras já tem o dominio da faixa de servidão e os danos já foram assimilados ha 40 anos.
Os ventos de Norte, Nordeste e Noroeste deveriam levar a poluição atmosférica para São Sebastião (Maresias fica a 15 km), Ilha Bela(18 km), Bertioga(67km). Os ventos de Sul, Sudeste e Sudoeste devem levar os gases para Ubatuba(48km), Paraty(94km), podendo chegar até a baia de Angra dos Reis e Sepetiba, RJ.
Haveria enormes desequilíbrios na fauna e flora, do Parque Estadual da Serra do Mar, a 1 km do local pretendido, que dificulta a dispersão dos gases no vento Leste, o mais frequente.
Uma das maiores distorções de avaliação é que haveria aquecimento no comercio local, por que a região vive em função do turismo, que deverá ser reduzido drasticamente, por causa das poluiçãões atmosférica, no mar, visual, além do trânsito e todos os outros danos.
Pensar que haverá geração de empregos é um erro gravíssimo, já que os empregados dessas obras são quase todos de fora, enquanto o atual número de vagas  no turismo deve cair vertiginosamente. Na construção, menos de 10 meses, a propria Petrobras estima ter apenas 750 empregados trabalhando, de total responsabilidade do consorcio vencedor (Queiroz Galvão/CamargoCorrea/Iesa/Acergy). Depois haverá apenas 75 operadores da Petrobras, por turno, ou seja 150 empregados, já contratados em concurso nacional.
Essa propaganda enganosa, de geração de emprego, já tem sido a principal causa para o aumento do fluxo migratório atual para o Litoral Norte, a maioria de desempregados de todo o Brasil. Em seguida virão: o aumento na taxa de desemprego, favelização, invasão das unidades de conservação, violência, filas, queda na qualidade dos serviços públicos ...
Os ``royalties``a serem arrecadados pelas prefeituras, segundo estudo da Unicamp, são estimados em 13 mil Reais por mês para São Sebastião, Ilha Bela, Ubatuba e 430 mil Reais, por mês para Caraguatatuba: irrisórios diante da queda do turismo e da pesca.
Alternativas:
 No estudo das alternativas, Cubatão teria o menor impacto ambiental, por que já existem as outras obras semelhantes, a infraestruturas de apoio, acessos mais fáceis e servidões da Petrobras para o mar e para a Capital de São Paulo, onde é a maior demanda de combustível.
O caminho mais curto para São Paulo, passando por Cubatão é 100 km menor do que o trajeto Caraguatatuba/Taubate. Para o Rio de Janeiro pelo mar seria mais de 200 km mais perto do que ter que ir ate Taubaté, sem a maioria dos impactos ambientais
Conclusões
O Litoral Norte não é o local ideal para usinas de tratamento de gás e outros empreendimentos poluidores da indústria petroquímica. O Rima, comprado pela Petrobras, tem várias erros de avaliações e sua tese é geograficamente insustentável. A ventilação dos gases tóxicos, seria muito mais eficaz em qualquer outra cidade do Planalto, do que nas praias, por causa da Serra do Mar, a grande barreira. E de todas as praias, a que oferece a maior instabilidade da encosta e pior ventilação é exatamente Caraguatatuba, por ser a Serra mais perpendicular ao Leste, de onde vem o vento mais freqüente.
Propostas:   www.soslitoralnortesp.com.br
Vamos revelar a verdade, enquanto o IBAMA pode negar Licença Previa..
Vamos oferecer as denuncias para uma Ação Civil Pública.
Vamos assinar e divulgar essa petição:

Abaixo-assinado
Vamos publicar pareceres e as posições das entidades de interesses coletivos.     Vamos fazer pesquisas de opinião para provar o que queremos.
 
Vamos votar e divulgar as enquetes sobre a obra
www.boicucanga.com.br/enquetes.html



www.zemauro.com.br


Sobre as emissões de gases, os dados do Eia-rima (Quadro 2.8 - UTGCA) informam que serão emitidos, só pelo "Flare" em operação contínua numa vazão de 217.055 m3/h - à temp de 640º C ( em regime de emergência a vazão se eleva para 350.952 m3 / h) , e para o primeiro caso as emissões serão: (Oxido de Nitrogênio) NOx - 72,51 g / seg ; (Monóxido de Carbono) CO - 405, 44 g / seg e (Hidrocarbonetos Totais) HC - 151,28 g / seg. Se somados resultam em 629, 23 g / seg . Mutliplicados por hora, resultam 54,36 toneladas/ dia (5,2 mil m3/dia)
Blog Vitorio